Salário digno para os profissionais de Enfermagem

Projeto de Lei 2573/2011, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem. Projeto de Lei 4924/2009, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

REESTRUTURAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA GESTÃO DOS HOSPITAIS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

Ministério da Saúde investirá R$ 400 milhões em projeto de reestruturação e qualificação da gestão dos hospitais federais.

Lançado em junho de 2009 pelo Ministério da Saúde (MS), o Projeto de Reestruturação e Qualificação da Gestão dos Hospitais Federais do Rio de Janeiro investirá, em dois anos, cerca de R$ 400 milhões na contratação e capacitação de profissionais; na qualificação da infra-estrutura; na aquisição de equipamentos; e na revisão de protocolos de gestão, entre outras melhorias. A iniciativa contemplará os seis hospitais federais (Andaraí, Geral de Bonsucesso, Ipanema, Jacarepaguá, Lagoa e Servidores do Estado) e, em parceria com os governos estadual e municipal, fortalecerá a rede de atendimento do SUS no Rio de Janeiro.

Para a modernização das estruturas físicas dos hospitais, serão direcionados aproximadamente R$ 200 milhões. Os focos principais do projeto são: a modernização dos processos de gestão; a inserção dessas unidades no contexto de rede de saúde local e regional; e o alcance de acreditação hospitalar. Além disso, a recomposição da força de trabalho; a estruturação de remuneração adequada; a modernização da gestão logística e de custos; e o fortalecimento das ações de humanização da assistência hospitalar nessas unidades estão entre as prioridades do Ministério da Saúde.

O novo modelo de gestão prevê a criação da Rede Hospitalar Federal do Rio de Janeiro. Com o programa, o perfil assistencial de cada um dos hospitais federais será avaliado e redefinido para que o trabalho seja realizado de forma integrada com outros hospitais sem que haja competição entre eles. Para isso, a vocação histórica de cada hospital será respeitada.
Para dar apoio a este trabalho, o Ministério firmou parceria com seis hospitais privados de excelência (Sírio Libanês, Hospital do Coração, Oswaldo Cruz, Samaritano, Albert Einstein e Moinhos de Vento), o que permitirá a transferência de tecnologia de gestão e a qualificação de profissionais para a Rede Hospitalar Federal do Rio. Além de investirem R$ 43 milhões no projeto, que se somarão aos investimentos do Ministério, os hospitais de excelência facilitarão tanto a contratação de consultorias externas quanto a redefinição do foco de cada hospital federal do Rio.

A medida tem o objetivo de aperfeiçoar os serviços e, ainda, preparar as instituições para a acreditação (certificação de qualidade). A meta é que, ao final do processo de implementação das ações, os hospitais federais ofereçam um alto padrão de atendimento, cada um com um perfil específico. O novo modelo permitirá uma administração atrelada a metas, resultados e qualidade.


Outras ações realizadas pelo Ministério da Saúde no Rio de Janeiro

O Projeto de Reestruturação e Qualificação da Gestão dos Hospitais Federais se somará a outras importantes ações que já vêm sendo realizadas pelo Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, como o repasse de mais de R$ 700 milhões para serviços de média e alta complexidade, aumentando o teto financeiro do Rio de Janeiro em 42% desde 2007. O Ministério também liberou mais de 148 milhões para reforçar o atendimento da população nas áreas de câncer, hemodiálise, transplantes e cirurgias cardíacas, além de reajustar os valores de diversos procedimentos do SUS no estado do Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo, foram realizados importantes investimentos em tecnologia e infra-estrutura, como o novo parque computacional a ser implantado nos hospitais federais.

Esses recursos estão viabilizando também duas ações significativas para a consolidação de uma nova fase da saúde no Rio de Janeiro: a construção do Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia, que alcançará o número de 20 mil cirurgias e mais de 300 mil consultas por ano, e a previsão de investimentos no Instituto Nacional de Câncer (Inca), que já é visto como referência nacional na incorporação de tecnologias, ensino, pesquisa e qualidade na assistência a pacientes com câncer.

Outra realização importante é o investimento no Centro Internacional Sarah de Neuroreabilitação e Neurociências, segunda unidade da Rede Sarah na cidade, para a qual o Ministério destinou R$ 150 milhões para as obras e outros R$ 30 milhões para a aquisição de equipamentos. Com programas de pesquisa científica e capacidade para atender mensalmente 20 mil pacientes com problemas que afetam o sistema nervoso central, o Centro será a unidade de referência da Rede Sarah para os temas de neuroreabilitação.

O Rio de Janeiro tem recebido apoio para implementar as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), dotadas de leitos de observação, que recebem pacientes que precisam de pronto-socorro e trabalham integradas ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O estado do Rio de Janeiro já conta com mais de 20 Unidades.

Fonte: saude.gov

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Proprietário deste blog informa que as postagens de comentários são identificadas, cabendo ao autor dos mesmos a responsabilidade pelo teor de seus comentários.
Grato por sua participação.

Acompanhe por e-mail

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje