Salário digno para os profissionais de Enfermagem

Projeto de Lei 2573/2011, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem. Projeto de Lei 4924/2009, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Na luta pela igualdade no mundo do trabalho

Na luta pela igualdade no mundo do trabalho

Numa atitude honrosa, o Senado Federal aprovou incluir na pauta durante todo o mês de março assuntos que tenham a pertinência com questão das mulheres. E assim aprovou na Comissão de Direitos Humanos, em caráter terminativo, no dia 06 (terça feira) o PL 130/2011, oriundo da Câmara dos Deputados que acrescenta o paragrafo III ao artigo 401 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT prevê multa a empresa que pagar salário inferior à mulher quando ela realizar a mesma atividade que o homem. O referido PL determina que considerar o sexo, a idade, a cor ou situação familiar com variável determinante para fins de remuneração, formação profissional e oportunidade de ascensão profissional importará em multa a favor da empregada, correspondente a cinco vezes a diferença praticada em todo o período de contratação. 


Leia mais clicando AQUI

Vagas para tratamento de pacientes com CÂNCER


VAGAS USP - URGENTÍSSIMO - POR FAVOR, DIVULGUE.
Prezado,

A Dra. Luciana Cini, está colocando à disposição vagas para tratamento de câncer.
Se souber de alguém que necessite deste tipo de tratamento é só ligar para ela.
Amigos, estar doente, já é horrível. Imagine estar com Câncer Gástrico e não ter convênio ou meios para realizar o tratamento.

Por amor, repassem esta mensagem. Dispomos de 15 vagas para pacientes com Câncer de estômago, esôfago, duodeno e intestino.
Tratamento completo, na Gastrooncologia, com Dr. Fonseca, diretor da Oncologia do Hospital Heliópolis, aluno do Hospital do Câncer.

Não há fila de espera.

Dra. Luciana Cini
(11) 9563 5430
(11) 4975 2309

Não custa nada divulgar.

"O UNIVERSO FUNCIONA COMO UM ESPELHO E TUDO AQUILO QUE TRANSMITIMOS,RETORNA PARA NÓS AMPLIFICADO".
Fonte: enfermagemcarioca/facebook

Homenagem da Deputada Enfermeira Rejane ao Dia Internacional da Mulher


Dia Internacional da Mulher

istockphoto
Em pleno século XXI, são as mulheres as que mais sofrem com a pobreza extrema, o analfabetismo, as falhas dos sistemas de Saúde, os conflitos e a violência sexual. Em geral, as mulheres ainda recebem salários menores pela mesma atividade profissional e têm presença reduzida nas principais instâncias decisórias.
 
A organização das trabalhadoras da saúde em suas entidades de classe, e a conquista de vitórias como a fixação do piso salarial regional para diversas categorias como a Enfermagem, representa um passo à frente para a ação coordenada em prol daquelas que constituem não uma minoria e, sim, mais da metade da humanidade.
Longe de ser um tema acessório, a questão de gênero é hoje prioridade da agenda nacional. Valorizar o dia 8 de março enquanto importante espaço de discussão das questões que impedem ou dificultam o empoderamento feminino, a participação ativa das mulheres nas tomadas de decisões importantes para a qualidade de vida da população em geral, é fundamental para a tomada de consciência deste imenso contingente populacional que possui relevante papel na formação da sociedade brasileira.
 
A busca da igualdade é plenamente compatível com a valorização da diferença. Promover os direitos humanos é combater a discriminação baseada em gênero, raça, condição física, orientação sexual, pensamentos diferentes e religião. Essas lutas são todas indissociáveis.
 
Nos momentos difíceis cada uma de nós busca força e inspiração nas mulheres que ao longo da história resistiram a todas as formas de opressão. Naquelas que apareceram diante do mundo e também em todas as mulheres anônimas e suas lutas anônimas. Agradeço a cada uma de vocês a possibilidade de ocupar esta cadeira da ALERJ e de dizer a todas as mulheres da saúde que com coragem, tenacidade e altivez, é possível conquistar os nossos sonhos.
 
Deputada Enfermeira Rejane

99 requerimentos. Quase 1/5 da casa já requereu.


Logo C?mara dos Deputados
Acompanhamento de Proposições
Brasília, sexta-feira, 09 de março de 2012
 
Prezado(a) Washington Ramos Castro,
Informamos que as proposições abaixo sofreram movimentações.
 
  • PL-02295/2000 - Dispõe sobre a jornada de trabalho dos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem.
 - 08/03/2012Apresentação do Requerimento de Inclusão na Ordem do Dia n. 4566/2012, pelo Deputado Mendonça Prado (DEM-SE), que: "Requer a inclusão do Projeto de Lei nº. 2295, de 2000, na Pauta da Ordem do Dia do Plenário da Câmara dos Deputados".
 
 
 

 
Para alteração de opções de recebimento, cancelamento ou suspensão deste serviço, clique aqui.

O homem que buscou as Raízes do Brasil - Agora será Honoris Causa -



Na história do cinema no Brasil vamos encontrar um destacado papel para a figura de Nelson Pereira dos Santos. Por sua importante produção, ele é, sem dúvidas, um dos construtores do prestígio que nosso cinema alcançou junto à critica internacional. Possui, na galeria de suas realizações, verdadeiras obras-primas, sendo nítida uma preferência para a passagem da literatura para a linguagem cinematográfica. São exemplos Vidas Secas, de Graciliano Ramos e filmes adaptados nas obras de Jorge Amado e Guimarães Rosa. Com sua arte, Nelson Pereira dos Santos ajuda a descobrir e entender esse Brasil tão complexo, do qual somos filhos.



Restam poucos dias Aproveite este Curso.


Faça a INSCRIÇÃO






Apoio ao bondinho. Um Patrimônio democrático, histórico, cultural e ecológico . Vamos assinar


Apoio ao bondinho democrático, histórico, cultural e ecológico
Abaixo-assinado eletrônico no endereço:
http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N21566
> Precisamos garantir que o bondinho que serviu o bairro de Santa Teresa durante mais de 100 anos, volte a circular...
> Precisamos garantir que o bonde volte a circular no seu formato original (tal qual tombado por decreto)...
> Volte a ser o principal meio de transporte do bairro...
> Os micro-ônibus que circulam atualmente abalam as estruturas do casario, ameaçando as pessoas, poluindo e descaracterizando um bairro histórico que é também uma APA (Área de Proteção Ambiental)...
> Apoio ao bondinho democrático, histórico, cultural e ecológico
Abaixo-assinado eletrônico no endereço:
http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2012N21566

Valem assinaturas de moradores
de pessoas de todos os bairros
de todas as cidades
de todos os estados
de todos os países

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE INSPETOR DE POLÍCIA DE 6ª CLASSE – 2012 - (ENFERMEIROS E ENFERMEIRAS PODEM SE INSCREVER)


 
InícioEditaisInscriçãoCronogramaAvisos ImportantesConcursos









Novas regras de aposentadoria de servidores federais entram em vigor em 2013. Saiba como vai funcionar a migração


Quem se tornar servidor federal a partir de 2013 já terá que se aposentar com base nas novas regras que foram votadas pelo Congresso Nacional, incluindo a limitação das aposentadorias ao valor do teto pago pelo INSS (hoje de R$ 3.916.20) e a criação de fundos de previdência que vão complementar esses benefícios garantidos pela União.

Enfermeiro Washington: É interessante recordar que além de ter perdido alguns benefícios em função da aquisição de outras, ao determinar limitação no valor da aposentadoria, mais uma vez se penaliza o trabalhador. O único que sempre deu sua contribuição de fato.

 Para que isso ocorra, o próximo passo é o Senado analisar o projeto que cria o Funpresp. Segundo o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, essa votação deve terminar até julho. No segundo semestre, o governo ajustaria os últimos detalhes para que os servidores que ingressarem no início do próximo ano no funcionalismo já sejam regidos pelas novas normas.

Enfermeiro Washington: Mais uma vez, vamos recordar que em todos os momentos em que ocorreram mudanças nas regras, os trabalhadores que já trabalhavam tiveram de optar e ao fazer isto tiveram a triste informação de que perderiam em qualquer das hipóteses.
Se não, vejamos:

O governo também vai trabalhar para que o projeto passe sem alterações pelo Senado. Quem já é funcionário federal poderá, se quiser, migrar para o fundo complementar.

Mesmo admitindo que uma eventual migração de todos os servidores geraria uma redução de gastos para os cofres, Jaime Mariz, secretário de políticas de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, garantiu que não haverá uma campanha da União para convencer os atuais servidores a mudarem de regime.

Enfermeiro Washington: Meus camaradas, vamos ser coerentes. jamais seria possível conseguir redução de "gastos" sem a redução dos valores "pagos" aos trabalhadores.
Chamar os valores que são "DEVOLVIDOS" aos trabalhadores de "gastos" é de uma falta de bom censo que beira a maldade.

Há um argumento de que o governo está fazendo uma lei para o futuro e que cada servidor deve tomar a sua própria decisão.

Enfermeiro Washington: Minhas recordações não são muito agradáveis. A pressão para a migração já começou, com a tentativa do Ministério do Planejamento de impedir a dupla vinculação.

Quem quiser migrar, porém, receberá um incentivo do governo. Esse funcionário terá uma quantia equivalente a uma parcela de seu salário, proporcional ao tempo já trabalhado, depositada no fundo complementar. Assim, uma pessoa com salário de R$ 15 mil, que já tenha trabalhado 12 dos 35 anos necessários para se aposentar (um terço do total), terá R$ 5 mil depositados. O valor corresponde a pouco mais de cinco meses de contribuição para o fundo, considerando uma alíquota de 8,5%.

Enfermeiro Washington: Meus camaradas. Se isto não são formas de pressionar, o que é?

ATENÇÃO!!!!!!!
Sindicatos não recomendam a migração

A maioria dos sindicatos de servidores federais são contra a mudança no regime de previdência, porém, mesmo aqueles que não são contra, não aconselham a migração dos atuais funcionários públicos para o novo regime previdenciário.

Para o secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Josemilton Costa, o novo sistema oferece menos garantias do que o atual.

Enfermeiro Washington: Históricamente todas as mudanças realizadas no sistema de captação e/ou de capitalização da previdência erraram no momento em que não cobrou de modo idêntico a todos os envolvidos. Veja: houve um momento em que era previsto 1/3 do valor de depósito para o trabalhador; 1/3 para o empresário e 1/3 para o governo.
O governo não pagou; os empresários receberam incentivos e, muitas vezes sonegaram. Restou somente ao trabalhador contribuir.

Os sindicalistas afirmam que governo lavou as mãos, entregando a previdência dos servidores para o mercado (capital).
A pergunta a ser respondida é: "O que vai acontecer se o administrador do fundo quebrar"?

O secretário de políticas de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, Jaime Mariz, rebateu:
— O regime atual está falido. Para que ele continuasse, seria preciso ter quatro servidores ativos para cada inativo. Mas, hoje, temos 1,17 ativo para cada inativo.

Enfermeiro Washington: Esquece o referido senhor de que a capitalização do sistema deveria ter garantido a capacidade gerencial financeira hoje, mas, historicamente, houve desvio, malversação, entre outros erros graves na administração dos valores.

Quem já é funcionário público federal e quiser passar para o novo regime terá dois anos para fazer isso. O prazo será contado a partir do momento em que o fundo complementar dos servidores começar a funcionar.

Fonte: Site da CTB e O Globo, via luisnascimento.

III Encontro Internacional de Pesquisa em Enfermagem: avanços no cuidado, gestão e política 29 a 31 de outubro de 2012



Participe:

Produzir conhecimento que promova a excelência no cuidado, gestão e política em enfermagem e saúde é desafio dos enfermeiros no século XXI.

Venha compartilhar seu saber!

III Encontro Internacional de Pesquisa em Enfermagem: avanços no cuidado,
gestão e política
29 a 31 de outubro de 2012
Local: Centro de Convenções Rebouças
São Paulo/SP - Brasil

Flexibilização ou Precarização? Perda de direitos trabalhistas dos trabalhadores

CTB repudia flexibilização das leis trabalhistas
O governo federal pretende flexibilizar a legislação trabalhista e assim permitir contratações dentro do chamado trabalho parcial e por empreitada. A alegação é de que os trabalhadores nessas condições, na informalidade, poderão ter carteira assinada depois da mudança na Cosolidação das Leis do Trabalho (CLT). Abaixo, o Vermelho reproduz nota da CTB divulgada nesta segunda-feira (5), sobre o assunto.

Acatando uma antiga reivindicação do patronato, o governo federal quer flexibilizar a legislação trabalhista para permitir novas formas de contratação, incluindo o chamado trabalho parcial e por empreitada. O pretexto é de que os trabalhadores nessas condições, hoje na informalidade, poderão ter a carteira assinada depois da mudança na CLT. Mas o que se pretende, na realidade, é a formalização do trabalho precário. Não houve consulta prévia ao movimento sindical sobre o tema.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) rechaça a proposta do governo. Alterações na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) só são aceitáveis se tiverem o sentido de ampliar os direitos da classe trabalhadora. Não é este o caso.


Fonte: Vermelho.org

Seminário Internacional Integração Assistencial em Redes de Atenção à Saúde Debatendo a experiência internacional e os desafios do SUS


Seminário Internacional Integração Assistencial em Redes de Atenção à Saúde

Debatendo a experiência internacional e os desafios do SUS

Instituição: ENSP, Fiocruz, Ministério da Saúde

Local: Salão Internacional, 4º Andar - ENSP - Rua Leopoldo Bulhões, 1.480 - Manguinhos, RJ

Período: 19/03/2012 a 20/03/2012

Informações: O Seminário tem por objetivo aprofundar o debate de alguns dos temas centrais à organização de redes de atenção e que estão em discussão hoje nas várias instâncias de gestão do SUS: o papel da autoridade sanitária; regionalização e descentralização; os instrumentos de planejamento; o modelo de atenção - perfis e funções dos níveis assistenciais e a articulação entre eles; a utilização de contratos e as diferentes formas de integração entre provedores. Informações e inscrições pelo telefone (21) 25982561 ou através do endereço eletrônico redesras@ensp.fiocruz.br.


Fonte: grabois.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Novo caso de racismo no Carrefour. Enfermeira afirma ter sofrido ofensas raciais depois de tentar trocar um aparelho telefônico com defeito. Diante de ameaças de agressão, segurança do Carrefour teria dito: “Negra desgraçada, eu vou quebrar a sua cara!”



O carrefour é reincidente, em 2009 um homem negro foi espancado na unidade de Osasco da multinacional francesa. Boicote ao Carrefour, corporação racista!


A enfermeira Sonia Maria Lofredo abriu representação criminal contra o Carrefour, nesta terça-feira (06). Ela afirma ter sofrido ofensas raciais depois de tentar trocar um aparelho telefônico com defeito. O fato ocorreu na loja que funciona no Shopping Eldorado, na cidade de São Paulo.

Por ter o pedido negado, a enfermeira atirou o aparelho contra o chão e se retirou. Ela relata que o gesto fez a vendedora dizer “a nega está maluca”. Ao perceber a ofensa, Sonia retornou e espalhou no ar os panfletos de publicidade da loja. Um dos agentes de segurança se aproximou e deu início aos constrangimentos.

“Ele falava baixo, tomando cuidado para que os outros não ouçam: ‘sua negra desgraçada, eu vou quebrar a sua cara!’ E dava socos no ar, que passavam a milímetros do meu rosto. Aí, eu peguei o meu filho, subi as escadas rolantes e fui seguida por seguranças por três lances de escada até que eles me obrigaram a ir para uma salinha.”

Sônia estava acompanhada pelos filhos de 10 e 12 anos e um amigo das crianças, e teve de esperar na salinha até a chegada da Polícia. Como se recusou a entrar na viatura com os menores, foi escoltada até em casa e de lá seguiu para a delegacia sob a acusação de ter agredido uma funcionária.

Sonia revela que, não tendo provas que sustentassem a acusação, representantes do Carrefour decidiram não registrar ocorrência.

“Sendo negro, você já está acostumado a ouvir coisas do tipo ‘neguinha’. Agora, quando isso passa a permear suas relações de consumo, quando você deixa de ir a determinados lugares por receio de sofrer violência pela tua cor, é sinal de que a gente está vivendo numa sociedade sectária.”

Segundo o advogado Dojival Vieira, o caso – ocorrido em 13 de janeiro – foi registrado como suspeita de ameaça, injúria racial, constrangimento ilegal, violação de dois artigos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), denunciação caluniosa e falsa comunicação de crime.



Fonte: blogdocappacete

Portal do COREN-RJ | Página Inicial

Portal do COREN-RJ | Página Inicial:

O presidente do Coren-RJ, Pedro de Jesus, participou da posse da professora doutora Helena Maria Scherlowski Leal David, eleita diretora da Escola de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro para o quadriênio 2012/2016.

Ele lembrou que o Conselho e a Escola de Enfermagem da Uerj têm uma parceria muito produtiva e efeciente e espera que a associação entre ambos cresça cada vez mais.

A deputada estadual Enfermeira Rejane também esteve na cerimônia, que aconteceu dia 1º de março. “A enfermagem da UERJ está bem representada e este momento significa mais uma vitória para categoria”, afirmou a parlamentar, acrescentando que o desafio que se impõe para esta nova gestão será pleno de êxito.

Integrantes da comunidade acadêmica, alunos e funcionários técnico-administrativos da universidade também participaram da cerimônia no Teatro Odylo Costa Filho.

Helena Maria Scherlowski Leal David possui em graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Católica de Petrópolis (1982), mestrado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (1995) e doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (2001), e pós- doutorado na área de pesquisa sobre drogas, pela University of Alberta, Canadá.

Professora adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, ocupava o cargo de Coordenação Adjunta do Programa de Pós Graduação, desenvolvendo atividades de ensino de graduação e pós-graduação, pesquisa e extensão. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem de Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem; educação em saúde; condições de trabalho; teoria crítica do trabalho e saúde do trabalhador; educação popular e saúde, e drogas e trabalho.


Fonte: site da Deputada enfermeira Rejane                                                .

'via Blog this'

Enfermagem 30 HORAS: Participe dessa Luta! “Quem não se faz lembrar esquecido fica” - UOL Blog

Enfermagem 30 HORAS: Participe dessa Luta! “Quem não se faz lembrar esquecido fica” - UOL Blog:


Trabalhadores sofrem mais de DORT e transtornos mentais, aponta ambulatório do HC



Fortes dores de cabeça, tonturas, tremores, falta de ar, oscilações de humor, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, problemas digestivos e depressão são alguns dos sintomas de uma doença invisível chamada de síndrome do esgotamento profissional ou Sindrome de Burnout (SB) – do inglês burn out, que significa queimar-se por completo.
Enquanto nas décadas de 1970 os problemas de saúde do trabalhador mais relevantes eram as doenças profissionais, tais como silicose ou intoxicação por chumbo e na de 1980 eram as lesões por esforços repetitivos (LER) e doenças osseomusculares relacionadas ao trabalho (DORT), de 1990 em diante os casos de transtornos mentais relacionados ao trabalho e as doenças como depressão e SB não pararam de crescer.
De acordo com Sérgio Roberto de Lucca, professor e coordenador da área de saúde do trabalhador do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, os casos de DORT e transtornos mentais associadas à sindrome do esgotamento mental são uma tendência demonstrada pelas estatísticas da Previdencia Social e pelos pacientes atendidos no ambulatório de medicina do trabalho do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp. Dos 858 casos de DORT atendidos no ambulatório nos últimos anos, 280 destes casos apresentam como co-morbidade algum tipo de transtorno mental.
“O novo desafio da medicina do trabalho é a de preservar a sanidade mental dos trabalhadores. Passamos do risco tecnológico, possível de controlar, para o risco invisível, difícil de controlar. Na história clinica há relatos de assédio moral e alguns pacientes apresentam sintomas que podem caracteriza-se como Síndrome de Burnout. O medo de perder emprego e os fatores da organização do trabalho são invisíveis e muito mais complexos de lidar. Este problema é mundial”, disse de Lucca.
Segundo de Lucca, a esse problema foi agravado com o advento das novas tecnologias e da globalização que impôs uma reestruturação produtiva. A precarização do trabalho se dá por meio da terceirização, flexibilização das atividades e instabilidade dos postos de trabalho. E o Brasil está numa posição reservada.
“As exigências das empresas são tamanhas que o indivíduo precisa de uma qualificação cada vez mais exigente. A maioria dos trabalhadores, hoje, não tem essa qualificação. Eles ficarão na periferia do sistema, em subempregos ou desempregados”, disse.

Milésima reunião clínica

A área de saúde ocupacional começou em 1978, com o ambulatório de medicina do trabalho, na Liga das Senhoras Católicas de Campinas. O fundador foi o professor René Mendes, do então Departamento de Medicina Preventiva e Social da FCM. Desde 1987, após o ambulatório mudar-se do centro de Campinas para o recém construído Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, alunos do quinto ano de graduação em medicina, médicos residentes e professores passaram a se reunir regularmente às quartas feiras nas reuniões clinicas de discussão dos casos de pacientes atendidos no ambulatório de medicina do trabalho. Em 34 anos, mais de três mil pacientes foram atendidos, constituindo-se em casos clínicos e fontes de pesquisa.
No dia 7 de março, a área de saúde do trabalhador do Departamento de Saúde Coletiva da FCM realiza a sua milésima reunião clínica. Para comemorar esta marca, acontece uma sessão solene às 19 horas, no anfiteatro 1 do conjunto de salas de aula da FCM, com a palestra "A importância do ensino e formação na atenção à saúde do trabalhador ", proferida por René Mendes, hoje consultor e professor aposentado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mendes foi quem instituiu as reuniões clínicas semanais da área.
“O René Mendes participou da evolução histórica da medicina do trabalho. Seu livro mais conhecido é “Patologias do trabalho”. Ele vai falar sobre o que aconteceu nesses últimos 25 anos no mundo do trabalho em particular na atenção á saúde dos trabalhadores”, explicou de Lucca.

'via Blog this'

Dilma: “luta contra discriminação das mulheres é tarefa de todos” « Blog do PCdoB-PR

Dilma: “luta contra discriminação das mulheres é tarefa de todos” « Blog do PCdoB-PR:


Em homenagem antecipada ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, a presidente Dilma Rousseff apontou nesta segunda (5) avanços na proteção da mulher contra a violência, como o fortalecimento da Lei Maria da Penha, e na área de saúde, a redução da mortalidade materna em 19% no ano passado.
Segundo Dilma, o Programa Rede Cegonha já chegou a quase 1.700 municípios brasileiros, alcançando mais de 900 mil gestantes. Ela lembrou que a maioria das mortes, nesses casos, está ligada a complicações provocadas por hipertensão, diabetes, hemorragias e infecções. “Todas essas são doenças que podem ser tratadas e controladas com um pré-natal bem feito”.
No programa semanal Café com a Presidenta, Dilma disse que, a partir de abril, as gestantes que aderirem ao Rede Cegonha vão passar a receber R$ 50 para pagar as passagens de ônibus até uma unidade mais próxima do Sistema Único de Saúde (SUS), onde o pré-natal será feito. Mais de 240 mil mulheres grávidas ou que estão amamentando já recebem do governo R$ 32 do Programa Bolsa Família.
A presidente destacou também dados relacionados à prevenção do câncer de mama e de colo de útero. Segundo ela, em 2011 foram realizados 11,3 milhões de exames preventivos contra o câncer de colo de útero, além de 3,4 milhões de mamografias em todo o país – um aumento de 13% em relação ao ano anterior.
Segundo Dilma, o caminho para a conquista dos direitos das mulheres é longo, mas o governo reconhece o papel imprescindível e crescente das mulheres na sociedade. Ela alertou ainda que não pode ser ignorada a realidade de violência a que ainda são submetidas muitas brasileiras. E ressaltou que um país que respeita suas mulheres constroi uma nação desenvolvida.
“Vamos continuar fortalecendo políticas de valorização da mulher, de afirmação da mulher. Políticas que aumentem as oportunidades de acesso ao emprego, com melhor capacitação profissional buscando superar uma grande desigualdade que existe em nosso país, que é o fato da mulher trabalhar o mesmo trabalho que o homem e ganhar menos. Eu tenho convicção que o século 21 é o século das mulheres. Não para as mulheres serem, de uma certa forma, contra os homens, mas para as mulheres terem uma participação na vida social, política, econômica e cultural do país ao lado dos homens, tendo o respeito dos homens. Um país que respeita suas mulheres constrói uma nação desenvolvida. Por isso, é muito importante, é uma tarefa de homens e mulheres a luta contra a discriminação da mulher”, concluiu.

Informações da Agência Brasil e do Blog do Planalto / via pcdobparana.





'via Blog this'

UBM: Mais Poder Político para as Mulheres

UBM: Mais Poder Político para as Mulheres:



No Dia Internacional da Mulher (8 de Março), a União Brasileira de Mulheres (UBM) relembra os 80 anos da conquista pelo direito ao voto feminino. Esse é um dos destaques do manifesto da entidade. Tendo em vista que as transformações sociais, políticas e econômicas em curso no Brasil, passam, necessariamente, pela efetiva participação e ampliação do poder político das mulheres, as coordenações estaduais do movimento realizam atos públicos em diversas cidades do país.
Na capital do Rio de Janeiro, as “ubmistas” estiveram no Largo da Carioca, a partir das 12h, em atividade conjunta com diversas forças políticas, para conversar com a população sobre a importância das bandeiras históricas da luta feminista. Às 17h, sairão em caminhada do Largo até a Cinelândia.
No dia 12, segundo a coordenadora da UBM-RJ, Helena Piragibe, acontecerá a entrega do “Diploma Mulher-Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro”, em celebração ao Dia Internacional da Mulher. A homenageada deste ano será Ana Maria Rocha, que é fundadora da UBM e da Revista Presença da Mulher (revista fundada em 1986). O evento será realizado às 18h, no Plenário Barbosa Lima Sobrinho - Palácio Tiradentes (Rua Primeiro de Março, s/n - Praça XV Centro, Rio de Janeiro).
Em Niterói (RJ), as atividades começam nesta segunda-feira (05), às 18h, com o “Ciclo de Palestras sobre a Mulher e a Política”, onde serão abordados temas como partidos políticos, convenções partidárias e recursos financeiros. O evento contará com a presença da presidente estadual do PCdoB-RJ, Ana Rocha e da deputada estadual enfermeira Rejane de Almeida (PCdoB-RJ). A Psicóloga e conselheira do Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres de Niterói e executiva estadual da UBM, Irene Cassiano, será a mediadora da mesa. O debate ocorrerá no Plenário da Câmara Municipal de Niterói (Avenida Amaral Peixoto, 625, Centro).
As comemorações da UBM-PE, em todo estado - com ênfase no Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes -, começaram nesta segunda-feira (5) com tuitaço para divulgar a campanha “Mulher, seu voto não tem preço”, que se estenderá entre março e junho. Para se integrar à rede basta acessar o Twitter e usar a hashtag #mulhervotonaotempreco.

Sul
Em Florianópolis, a partir das 14h do 8 de Março, a UBM-SC estará presente em atividades de rua que acontecerão no vão central do Terminal Central de Ônibus. A atividade contará com apresentações culturais - música, teatro, dança – bem como panfletagens e microfone aberto às entidades dos movimentos de mulheres do município. No decorrer do mês as ubmistas catarinenses farão ações semelhantes em Chapecó, Itajaí, Criciúma, Blumenau, entre outras. Estão previstas atividades como palestras, debates, oficinas, cafés com mulheres e homens de diferentes categorias profissionais e associações comunitárias.
Na capital paulista, a UBM-SP se integra ao tradicional ato público com passeata que, neste ano, reunirá cerca de 80 entidades ligadas ao movimento de mulheres. As ubmistas estarão concentradas às 14h na Praça da Sé e de lá sairão em passeata.
Como já ocorre há vários anos, em Curitiba, a UBM-PR participa da passeata com caminhada da Praça Santos Andrade à Rua das Flores (Boca Maldita). No próximo dia 08, o movimento feminista local leva para as ruas três temas de destaque: Educação, Cultura e Diversidade; Saúde, Direitos Sexuais e Reprodutivos: contra a mercantilização do corpo da mulher e Soberania Alimentar: contra o uso de agrotóxicos. O evento contará com a participação das mulheres do MST, unindo mulheres do campo e da cidade.
A UBM-PR participará ainda de atividades na Unibrasil, no dia 08, às 19h, com homenagem à pedagoga ubmista Maria Isabel Corrêa, militante de movimento de mulheres e ambiental desde o final da década de 70. Ativista da entidade desde 2003, Isabel atualmente faz parte da coordenação estadual UBM-PR e do conselho de direção da UBM-nacional. Junto à luta do movimento, ela traz outra paixão: a música. Suas canções trazem mensagens de luta pela biodiversidade e pelos direitos sociais, em especial das mulheres. Também será homenageada pela mesma universidade a Iyálorixá Dalzira Maria Aparecida (Iyá Gunã). Militante histórica do movimento negro, Dalzira - que cursou Relações Internacionais na Unibrasil e é mestranda pela UTFPR - tem uma larga trajetória no movimento de mulheres.

Paraná reivindica fim da violência
Ainda do Paraná, o núcleo da UBM em Ponta Grossa estará integrada às ações da Unegro. No dia 10 de março, às 14hs, as entidades participam de atividade alusiva ao dia de luta das mulheres na Comunidade quilombola Sutil. Em Foz do Iguaçu, a UBM participa do lançamento de diversos cartazes e outdoors que serão afixados em toda a cidade tendo como principal reivindicação o fim da violência contra mulheres e meninas. Nos dias 8 e 9, a coordenadora nacional da UBM, Elza Maria Campos, fará a palestra “Desafios Para o Século XXI e a Luta das Mulheres” no 2º Encontro das Mulheres da Construção e do Mobiliário do Estado do Paraná, que ocorrerá na Colônia de Férias da Fetraconspar em Itapoá (SC).

As mulheres e o projeto nacional de desenvolvimento
Para a coordenadora geral da UBM, Elza Campos, as atividades das coordenações estaduais neste mês são de extrema importância para os diferentes movimentos feministas e de mulheres, pois servem para dar visibilidade a uma série de problemas enfrentados cotidianamente pelas mulheres de vários segmentos. Por outro lado, é um momento de fortalecimento da UBM, que, articulada em todo país, amplia a sua representatividade em prol dos direitos das mulheres.
"Este 8 de março tem um significado muito especial. Além de marcar os 80 anos da conquista do voto feminino, traz também a luta por um novo projeto nacional de desenvolvimento com a participação das mulheres. A UBM se consolida nas atividades de massa com os movimentos sociais para procurar romper com a subrrepresentação nos espaços de poder. Por isso, lança o seu Manifesto “Mais Poder Político para as Mulheres”, entendendo que a nossa luta exigirá - do movimento emancipacionista que a UBM defende-, a materialização cotidiana do compromisso firmado historicamente de criar condições, no presente, para garantir as conquistas almejadas, na luta pela libertação das mulheres e do povo contra toda discriminação e por igualdade de direitos”, expõe Elza Campos.

Manifesto

No manifesto “8 de Março: Dia Internacional da Mulher - Mais Poder Político para as Mulheres!”, a entidade reafirma a importância da presença feminina na política brasileira. “As mulheres devem ser vereadoras, deputadas estaduais, deputadas federais, senadoras. Em 2012, mulheres com compromisso e coragem enfrentarão as eleições. E, para avançar a democracia, é necessário que muitas destas bravas e corajosas mulheres sejam eleitas. No Brasil, as mulheres se voltam para o século XXI, com a certeza de que temos que chegar muito mais longe, superando a subrepresentação política e nos mobilizando no centro das atividades partidárias, comunitárias, sindicais”, escrevem as ubmistas.
Também reforçam a luta pela garantia da reforma política, com financiamento público de campanha, garantia de coligações proporcionais e lista fechada com alternância de gênero e cumprimento da lei de 30% das cotas para candidaturas femininas, bem como a reforma da mídia, como meio de enfrentar a criminalização dos movimentos sociais e a banalização da imagem da mulher real.
A redução da jornada de trabalho de 44 para 40 h, a aprovação do PL 4857/2011 - que garante igualdade salarial e de condições de trabalho entre homens e mulheres -, o fortalecimento do SUS com garantia de ampliação da rede de atendimento e respeito ao corpo e à diversidade das mulheres e, ainda, a garantia de redes de equipamentos sociais (creches, lavanderias, restaurantes populares, centros de convivência) também fazem parte das reivindicações da UBM que estão registradas no manifesto.

Aborto e Lei Maria da Penha
O Dia Internacional da Mulher deste ano também é uma data para reafirmar a luta em favor da legalização do aborto como forma de fazer cumprir a agenda dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres como um direito humano. Assim como a defesa intransigente da aplicação da Lei Maria da Penha nos atos de violência contra mulheres e meninas, com a instalação de delegacias especializadas, juizados especiais, centros de referência e casas abrigo. A cobrança da UBM é para a imediata aplicação e ampliação de políticas nessas áreas.
Por fim, as ubmistas querem que as várias instâncias do poder público assumam a responsabilidade sobre a implementação das políticas para as mulheres. Além disso, exigem a criação de mecanismos para fazer avançar a pauta de gênero, visando o cumprimento de todos os compromissos do Governo Dilma para com as mulheres. Para tanto, reivindicam a criação de secretarias de mulheres nos estados e municípios brasileiros como forma de incentivar e garantir a elaboração, execução e monitoramento dos Planos de Políticas para as Mulheres, a proteção de meninas e mulheres da exploração sexual comercial que faz vítimas cada vez mais jovens em nosso país e o fim de todo tipo de desigualdades e discriminações em relação às mulheres negras, indígenas, jovens, idosas, lésbicas, trabalhadoras rurais, trabalhadoras domésticas, com deficiência e soropositivas.

Confira o manifesto na íntegra aqui .

Fonte: UBM






'via Blog this'

terça-feira, 6 de março de 2012

É disto que precisamos


Por uma assistência de Enfermagem de qualidade nas UTIs

Já passou da hora de regulamentar esta demanda.
A Enfermagem tem que ser respeitada sob risco de não garantir a integridade do paciente.
Excesso de pacientes é uma forma de exploração do trabalhador e de exposição a riscos dos pacientes.
Vamos unir forças.
População e profissionais por uma assistência de qualidade.
5 pacientes por enfermeiro nas UTIs















Curso de Atualização em aconselhamento motivacional e intervenção breve em Crack e outras drogas para ACS e Redutores de danos, Agentes sociais e profissionais que atuam nos consultórios de Rua


Curso gratuito de Aperfeiçoamento em atenção aos usuários de Crack e outras drogas para profissionais de PSF / NASF


Curso gratuito de Atualização em atenção aos usuários de Crack e outras drogas


Campanha de prevenção do câncer de mama

Toda mulher merece ter um atendimento digno, diagnóstico precoce e tratamento com qualidade.

Entre nesta onda: Antes de cutucar os outros, reserve um tempo para você.

 CUTUQUE-SE













Acompanhe por e-mail

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje