Salário digno para os profissionais de Enfermagem

Projeto de Lei 2573/2011, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem. Projeto de Lei 4924/2009, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Sindicato da Enfermagem rejeita proposta do Governo de Rondônia e é o primeiro a iniciar greve - A decisão ocorreu na assembleia geral dos enfermeiros realizada em frente ao João Paulo II




A classe dos enfermeiros de Rondônia rejeitou na manhã de hoje 26/04/2012 a proposta do Governo do Estado e é a primeira classe da categoria da Saúde a cruzar os braços. O percentual de 11,4% oferecido pelo Governo não foi aceito porque esse já é o montante que é descontado de previdência dos servidores, disse o presidente do Sindicato da Enfermagem (Sinderon), Ângelo Florindo.

A postura do secretário de saúde, Gilvan Ramos, que simplesmente não apareceu na reunião de ontem, com grevistas, na mesa de negociação do Governo de Rondônia, mostrou que o Estado não está preocupado em resolver a situação dos servidores. “A saída e a resposta dos servidores é essa então, a greve por tempo indeterminado”, ressaltou.

A decisão ocorreu na assembleia geral dos enfermeiros realizada em frente ao Hospital João Paulo II. Segundo Ângelo, a aprovação do plano de carreira (PCCR), engavetado pelo Governo desde dezembro, é a principal reivindicação dos profissionais de enfermagem, que também exigem 33% de reajuste salarial, melhores condições de trabalho, pagamento de insalubridade, horas extras, contratação de novos servidores e revogação da Lei Estadual 443/2011, que estabelece gratificação por produtividade somente aos médicos.

A categoria da enfermagem, segundo o sindicalista, está com salários defasados nos últimos 10 anos, enquanto a demanda nas unidades de saúde aumentou 8 vezes. “Há 10 anos, um enfermeiro ganhava 75% do vencimento de um médico. Hoje, essa proporção está em 21%. Há uma política diferenciada do Governo para com as demais categorias da saúde. Não somos contra o aumento quem quer que seja, mas exigimos isonomia e equidade na política salarial da categoria”, disse Ângelo.

Fonte: rondoniadinamica.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Proprietário deste blog informa que as postagens de comentários são identificadas, cabendo ao autor dos mesmos a responsabilidade pelo teor de seus comentários.
Grato por sua participação.

Acompanhe por e-mail

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje