Salário digno para os profissionais de Enfermagem

Projeto de Lei 2573/2011, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem. Projeto de Lei 4924/2009, que fixa pisos salariais para Enfermeiros, Técnico de Enfermagem, Auxiliar de Enfermagem e Parteiras. Altera Lei 7.498/86, que regulamenta o exercício da Enfermagem.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Carga horária da enfermagem e o sono em pandarecos

Ainda é verdade: a notícia “só existe”, como desde o início das escolas de jornalismo nas faculdades oficiais ou nas da vida, quando “o cachorro faz mal à moça”. E com esse espírito o antigo jornal A Luta Matogrossense anunciou: “CACHORRO FEZ MAL A MOÇA”! Alguns leitores ávidos pelo sensacionalismo reclamaram porque no corpo da notícia a história não era a que se anunciava na capa do jornal.




Apenas, uma moça teria comido cachorro quente e este sim, fizera-lhe mal. E veja que esse assunto foi manchete do jornal “A Luta Matogrossense”, do polêmico e bom jornalista, saudoso, Chaves.




Sei que essa lembrança é muito carregada na comparação, porém ela ainda é muito atual em várias oportunidades no jornalismo e na política congressual. Se não vejamos: há poucos dias a Câmara Federal barrou um sonho acalentado há 12 anos (Correção nossa 40 anos, se contar desde o primeiro projeto) pelos dedicados, sacrificados e muito pouco reconhecidos em seus valores profissionais e humanos: as(os) enfermeira(o)s. E pouco, quase nada conseguiu repercutir na chamada grande imprensa nacional.
E qual a revindicação dessa valorosa classe, que eu particularmente sempre respeitei, respeito e admiro...?




A enfermagem brasileira luta arduamente pelo direito de ter reconhecida a carga horária de 30 horas semanais em seus registros trabalhistas. É importante esclarecer que o Congresso Nacional já aprovou projetos que regulamentam a jornada de trabalho dos médicos, com 20 horas semanais; técnicos de radiologia, 24 horas semanais; fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais 30 horas semanais e os assistenes sociais com com 30 horas semanais.




E qual seria a razão básica (argumento sem base - grifo nosso) do impedimento da satisfação desses profissionais? “O suposto impacto financeiro” na área pública e privada que empregam esses trabalhadores. Porém, não é isso o que afirma o conceituado Departamento Intersindical de Estatíca e Estudos Sócio-Econômicos (DIEESE) em análise efetuada em 2011, que por sinal, serviu-se de dados oficiais do governo federal (RAIS do Ministério do Trabalho e Emprego), que mostrou que o aumento na massa salarial do setor saúde é muito pequeno, ou seja apenas 1,33%, correspondendo a R$ 3,7 bilhões.
Menos de um e meio pontos percentuais, isto mesmo, é esta miséria que os empresários, o ministro da saúde e a bancada do PT usam de argumento para impedir a aprovação do PL 2295/2000, ressaltou o Enfermeiro Washington.




E o mesmo DIEESE levantou que a jornada de 30 horas, quando aprovada, representará a abertura de 194.857 novos postos de trabalho para os profissionais da Enfermagem. Outra informação importante é que as entidades da Enfermagem coletaram estatísticas do IBGE e constataram que os impactos financeiros serão poucos porque muitas localidades já adotaram jornada de 30 horas semamanais através de acordos institucionais, além disso os municípios de Curitiba/PR e do Rio de Janeiro, recentemente aprovaram leis municipais adotando jornada de 30 horas semanais. Hoje (04/07/2012) está sendo sancionada a Lei, pelo Prefeito Eduardo Paes, no Palácio Guanabara.



É essa a luta heroica da Enfermagem brasileira, quando maldosamente são desprestigiados nesse direito sagrado que é o de receber um mínimo de consideração pelo esforço/dedicação/sacrifício/abnegação que os levam a manter o ânimo e o idealismo intactos, e a coragem de continuar enfrentando os donos do capital (afirmação nossa).
Todos conhecemos o dia a dia desses trabalhadores diante de tantos sofrimentos alheios ao procurar com aconchego, amor e profissionalismo minorar a dor de seus pacientes, ao lado da valorosa classe médica. Ou porque precisou de seus cuidados, ou por que teve algum ente querido assistido por eles.



É comum encontrarmos esses profissionais em algumas colocações de atendimento em residencias, além dos plantões e horários de serviço em hospitais, com vários, em turno de 24 por 24 horas. E o ciclo de sono dessas pessoas, como anda? Como diria o leigo: em pandarecos!




Assim, caros leitores essa é a luta da batalhadora classe da Enfermagem. Cá deste lado torço eu e dou esta mínima colaboração, mesmo sabendo que as enfermeiras e os enfermeiros (os técnicos e auxiliares) não fazem mais do que suas obrigações ao bem atender seus pacientes. Mas, como vimos eles não são tão reconhecidos quanto deveriam. Simples assim: São heróis brasileiros.




Enquanto isso a classe política (especialmente os deputados federais. Grifo nosso) deve-lhes essa. Mas relevando a maldade dos insensíveis deputados federais que não cumpriram com seus deveres de presença em plenáro para votar a favor (conforme haviam se comprometido com a categoria) ou contra a regulamentação da carga horária de 30 horas semanais para a Enfermagem, abraço e respeito aos senhores deputados, em minoria é verdade, mas que ética e honrosamente marcaram presença naquela frustrada votação.



Por isso dou o meu bom dia pra você classe da Enfermagem, acreditando que o poder de convencimento dos bons políticos e a força das enfermeiras e dos enfermeiros 
 (dos técnicos e dos auxiliares
prevaleçam nessa boa luta.

Fonte: campograndenews.com / Assinado por Ruy Santana. (jornalista) / com grifos nossos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Proprietário deste blog informa que as postagens de comentários são identificadas, cabendo ao autor dos mesmos a responsabilidade pelo teor de seus comentários.
Grato por sua participação.

Acompanhe por e-mail

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje

Atalho do Facebook Enfermagem 30 horas hoje